Aprendizagem profissional

Mais do que cumprir a Lei de Aprendizagem é a oportunidade de ser uma empresa socialmente responsável

A Lei da Aprendizagem é a Lei 10.097/2000, e diz em linhas gerais que Estabelecimentos de qualquer natureza, excluídas as micro e pequenas empresas, devem empregar um percentual de aprendizes. Este número varia entre 5 e 15% do corpo funcional existente em cada estabelecimento, nas funções demandem formação profissional, excluindo-se as que exijam formação de nível técnico ou superior, cargos de direção, gerencia, e empregados em regime de trabalho temporário.

O programa de aprendizagem profissional tem duração que varia de 13, 15 ou 23 meses. Os cursos oferecidos são todos aprovados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, garantindo sua credibilidade e validade junto ao poder público.

Para as empresas que desejam incluir jovens aprendizes em seus quadros funcionais, o Mais Aprendiz firma um termo de parceria, em que se compromete a tornar-se uma empresa educadora. A partir disso, são levantadas todas as informações necessárias para dar início a contratação dos adolescentes e jovens.

As empresas educadoras têm como atribuições:

  1. Designar formalmente um monitor, que ficará responsável pela coordenação de exercícios práticos e acompanhamento das atividades do aprendiz no estabelecimento, garantindo uma formação que de fato contribua para seu desenvolvimento integral.
  2. Realizar um investimento mensal no aprendiz pelo trabalho que realiza na empresa e pelo curso teórico na entidade formadora.
  3. Acompanhar o desempenho do jovem aprendiz no curso de aprendizagem e na escola regular.

Para informações mais detalhadas entre em contato com a gente pelo e-mail: sae@maisaprendiz.org.br